Bem-vindo! Hoje é quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Museu da Gravura Brasileira - MGB FAT/Urcamp

História

 Em janeiro de 1976, numa promoção da Secretaria Municipal de Turismo do Município de Bagé, com o apoio do Museu Dom Diogo de Souza e da Fundação Attila Taborda, realizou-se em Bagé o Encontro Nacional de Artistas Plásticos, idéia de Carlos Scliar, surgida quando a FUnBA, atual Universidade da Região da Campanha, conseguiu reunir em Bagé o Grupo de Bagé, já há vários anos disperso.

O Encontro Nacional de Artistas Plásticos reuniu não só os quatro do Grupo de Bagé – Scliar, Glênio, Glauco e Danúbio – mas também nomes dos mais expressivos das artes plásticas, que foram recebidos em fazendas de Bagé, para sentirem a plasticidade do nosso cenário e se voltarem para temas nacionais. Foi neste cenário e estes acontecimentos, a maior motivação para que Carlos Scliar e seus companheiros de Encontro propor a criação do Museu da Gravura Brasileira para documentar esta atividade plástica.   

O Museu da Gravura Brasileira foi inaugurado a 21 de outubro de 1977, durante o II encontro Sul - Rio-Grandense de Museus. Foi inaugurado, com uma mostra dos integrantes do Grupo de Bagé (composto pelos artistas plásticos Glênio Bianchetti, Glauco Rodrigues, Carlos Scliar e Danúbio Gonçalves), também chamado os Quatro de Bagé. Tais artistas, um ano antes da fundação do museu, haviam idealizado a possibilidade da criação de um órgão cultural, onde eles e outros artistas pudessem reunir e estudar a criação artística.

Sobre o Museu

O Museu da Gravura Brasileira, fundado a 21 de outubro de 1977, é mantido pela Fundação Áttila Taborda e tem por finalidade recolher, adquirir, estudar, conservar, comunicar/expôr, para fins de estudo, educação, cultura e lazer, obras de Artes Visuais com ênfase na gravura.

Acervo

Dispõe em seu acervo mais de quatrocentas obras do Clube da Gravura de Bagé e de Porto Alegre. Uma das primeiras doações foram feitas por Carlos Scliar com doação do acervo particular de gravuras sobre a temática gaúcha. O acervo foi formado integralmente com doações de artistas e particulares.  Este acervo é composto de mais de 1700 obras, nas técnicas de gravura; serigrafia, gravura em metal, xilogravura, ponta seca, fotografias entre outras técnicas. Encontra-se obras de: Vasco Prado, Glauco Rodrigues, Danúbio Gonçalves, Glenio Bianchetti, Vera Chaves Barcelos, Fayga Ostrower, entre outros.

Missão

A missão do Museu é promover a interação da sociedade com o patrimônio artístico cultural, contemplando tanto a experimentação e a inovação contemporânea, quanto ao registro, resgate, educação, comunicação, memória e identidades, focando à livre-expressão, a democracia e a ética, favorecendo o desenvolvimento da alfabetização estético cultural comunitária - fazendo parte da  política cultural desta universidade, primando pela responsabilidade sócio cultural e o desenvolvimento regional.

Funcionamento:

De terças à sextas-feiras

Tarde: 15h às 19h

Telefone para contato: (55) 3242 8244, ramal 250

Endereço: Av Emilio Guilyan, 759 CEP: 96415 -100

Email: museudagravura@urcamp.edu.br 

Gestão: Carmen Barros e Maria Luiza Pêgas